Camocim

Jericoacoara é a vizinha famosa, eleita pelo jornal The Washington Post como uma das dez praias mais belas do mundo. Jeri (como é mais conhecida) atrai multidões de turistas e hoje é o terceiro destino mais visitado do Ceará (atrás da capital Fortaleza e de Canoa Quebrada).

Entretanto, quem seguir alguns quilômetros na direção oeste terá outra surpresa:Camocim. Dunas brancas, praias virgens, lagoas límpidas e mangues preservados compõem o visual desse município que sobrevive da pesca e do incipiente (mas crescente) turismo. O agito de Jeri não é encontrado nos domínios de Camocim, é verdade; mas, depois de percorrer os mais de 60 quilômetros de faixa litorânea camocinense e conhecer o ecossistema da região, quem ainda precisa de agitação?

Fundada em 1879, Camocim foi um importante porto comercial durante o século 19. De lá, as mercadorias seguiam em comboios de trem para abastecer o interior do Estado. Hoje, a cidade perdeu a imponência dos tempos passados e a sua arquitetura é marcada por pracinhas arborizadas e modestas casas coloridas.

A distância de Fortaleza é grande – são 375 quilômetros e a viagem de seis horas é cansativa. Entretanto, depois de cruzar a placa que anuncia a entrada da cidade e vislumbrar um cenário que mistura manguezais, coqueirais, dunas e praias, o turista perceberá que o esforço é recompensado.

Na área urbana, o mercado central e as lojas de artesanato são as maiores atrações. O primeiro vende objetos rústicos como potes de barro  e as famosas redes de tucum (uma palha típica da região), além de comidas típicas como o chá de burro (uma espécie de munguzá – aviso aos paulistas: o munguzá do Nordeste é o que os paulistas chamam de canjica, doce de milho em caldo de leite).

O artesanato local está em toda esquina com preços variados; a Associação Camocinense de Artesãos, que fica à beira-mar, vende desde cachaças típicas a luminárias de catemba de coco e pinturas de artistas locais. A antiga estação ferroviária (que hoje abriga um dos campi da Universidade Vale do Acaraú), o pier e o cemitério de navios são outros pontos que merecem ser visitados.

Se a intenção é entregar-se exclusivamente à natureza, que tal um agradável passeio subindo o rio Coreaú com suas diversas ilhas? Se você gosta de aventura, a sugestão é dedicar-se às inúmeras trilhas por labirintos de dunas, de onde surgem paisagens inacreditáveis. Se está viajando a dois, nada mais romântico que um lual mágico na Ilha do Amor, entre o rio Coreaú e o mar, onde se pode revezar os banhos de água doce com os de água salgada. Passear pela Avenida Beira-Mar, contornada pelo próprio rio Coreaú, é outro dos programas imperdíveis. Ir até o Lago Seco, que fica na zona urbana de Camocim, também está na lista de atrativos, principalmente por contar com uma ótima infra-estrutura de serviços de bar e restaurante. Lá você encontra, inclusive, pizzas e churrascos. Outro lago que merece a visita é o do Boqueirão, com suas águas cristalianas e paisagens selvagens.

Entre as praias, a principal é a de Maceió, emoldurada por lindos coqueirais e o mar turquesa. Outra que merece ser conhecida é a Praia do Xavier, vilarejo de pescadores que leva à maravilhosa riqueza natural da Barra dos Remédios. Para visitar praias mais afastadas – e praticamente inexploradas – como Barrinha e Imburanas, a dica é alugar um buggy ou um 4×4. Se houver disposição, conheça a última praia do Ceará, o Pontal do Bitupitá, que tem 10 praias primitivas e inúmeras lagoas.

Veja abaixo vídeo com as belezas do Camocim:

Anúncios

Tags: , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: